O que são custos fixos e variáveis e como calculá-los?

O que são custos fixos e variáveis e como calculá-los?

eBook Como bater as metas: uma dica para produzir mais e melhorPowered by Rock Convert

Entender as diferenças entre custos fixos e variáveis é imprescindível na gestão da indústria de confecção.

Muitos gestores ficam em dúvida sobre a gestão financeira da sua indústria, pois desconhecem a importância de entender mais sobre os custos envolvidos no seu planejamento e controle de produção.

O que poucos empresários sabem é que os custos são pertinentes e proporcionais às vendas de uma determinada época: alguns impactam mais, outros menos. Você sabe quais são eles?

Nas próximas linhas, vamos explicar um pouco mais sobre os custos e como eles são categorizados em uma indústria de confecção. Ao final, entenda a melhor forma de identificá-los.

Você sabe as diferenças entre custos fixos e variáveis?

O custo fixo está relacionado aos gastos estruturais que todo mês você deve pagar, como o aluguel de maquinários, salários dos colaboradores, internet, plano telefônico, segurança etc.

Ele se mantém invariável, independentemente se as vendas e as produções oscilarem, porque envolve tudo o que está relacionado à estrutura da indústria de confecção.

Enquanto que o custo variável é referente e proporcional à produção e venda de uma organização, como as matérias-primas, comissões, energia etc.

Vamos supor que você compre matérias-primas para atender uma determinada coleção sazonal. Além de ter capital de giro para comprar insumos, você terá que ter dinheiro em caixa para pagar as despesas relacionadas com essa coleção, como: o consumo de energia elétrica, horas extras etc.

Os gastos fixos e variáveis se relacionam quando você vai precificar a sua produção. O fixo, por exemplo, incidirá sobre o seu custo de produção. Dessa forma, você identificará exatamente o quanto gasta para produzir uma peça.

Já os variáveis são pertinentes ao aumento das suas vendas, porque, se elas aumentam, é sinal de que você precisará movimentar o capital de giro para financiar os gastos de curto prazo, ou seja, variáveis.

Como identificar as despesas permanentes das oscilantes?

Depois de diferenciar os tipos de custos, chegou a hora de contabilizá-los. O primeiro passo para o controle é registrar todas as saídas de determinado período.

Em seguida, você vai separar por categoria e observar quais despesas são permanentes e quais sofrem alterações no decorrer do tempo.

O ideal é você se atentar em manter os custos fixos mais altos do que os variáveis, porque se houver sinais de que as vendas estão subindo, a lucratividade caminhará na mesma proporção.

Agora, não se baseie somente nisso, porque, em casos de as vendas caírem, os gastos fixos não serão amortizados e a sua indústria de confecção terá problemas financeiros.

Por outro lado, os gastos variáveis interferem em promoções ou descontos que você deseja conceder ao seu cliente final. Uma forma de calculá-lo é somar todos os valores oscilantes e dividir pela sua produção.

Então, pensando assim, fica claro perceber que os custos fixos e variáveis são partes de um planejamento financeiro estratégico que contempla o fluxo de caixa, o capital de giro, as receitas e as despesas. Tudo isso em harmonia garante que a indústria tenha o caixa abastecido sem perder a lucratividade, já que os custos variáveis impactam diretamente nela.

Aprendeu sobre os custos fixos e variáveis? Assine a nossa newsletter e receba em primeira mão os próximos artigos. Com certeza, eles vão ser úteis na gestão da sua empresa!

Apresentação IndustWeb Sistema para ConfecçãoPowered by Rock Convert
Nenhum comentário.

Deixe seu Comentário

Não perca mais nenhum conteúdo!

Cadastre-se em nosso blog e comece a receber conteúdos fresquinhos sobre indústria de confecção em seu e-mail