fbpx
Descubra quais são as melhores técnicas de estamparia!

Descubra quais são as melhores técnicas de estamparia!

eBook Prejuízo com ordens de produção veja o porquêPowered by Rock Convert

Você que deseja ter uma indústria de confecção moderna, existem técnicas de estamparia que são excelentes meios de conseguir uma maior competitividade no mercado de vestuário e aumentar a lucratividade do seu negócio.

No entanto, entender os prós e contras é de extrema importância, sobretudo para balancear os custos operacionais e financeiros da atividade. Pensando em você que deseja ampliar os seus rendimentos, apresentamos as principais técnicas nas indústrias de vestuários.

Vem conosco.

Confira as principais técnicas de estamparia

O gestor deve escolher a opção que mais atende ao seu estilo de confecção. Algumas técnicas são mais indicadas para determinados tipos de tecidos e em quantidades limitadas. Veja as comparações entre as principais técnicas do momento: serigrafia, sublimação e transfer.

Serigrafia

O método de serigrafia, também chamado de Silk Screen, é um processo milenar e mais comum nas confecções. É realizado por meio de telas e tintas específicas. A vantagem é que ele pode ser executado em qualquer tecido e criar diversos desenhos e efeitos. No entanto, é mais caro e demorado; além disso, necessita de mais mão de obra elevando o custo operacional unitário.

Sublimação

A técnica de sublimação é realizada com o auxílio de papel próprio para tecido e com a prensa térmica. A transferência é feita mediante o calor da pressão; assim a estampa do papel é fixada pelo tecido. Ela é muito comum em indústrias que confeccionam camisetas temáticas, abadás (sublimação total na camiseta) e roupas esportivas. As vantagens: baixo custo unitário, produção em lote; e a desvantagem é que não é possível imprimir em tecidos escuros ou de algodão.

Transfer

A estampagem via transfer é ideal para tecido de algodão. Consiste na transferência de uma estampa em cima do tecido por meio de uma impressora a laser ou em papel específico (papel transfer). Ela tem baixo custo unitário, alta lucratividade e confecção em alta escala, mas a durabilidade da peça é baixíssima em comparação com as outras modalidades.

Outra dica é o gestor comparar os diferentes níveis de custos por produção em lote ou unitário. Como pode perceber, existem custos ao investir em maquinários e custo por peça toda vez que for confeccionar. Para isso, existem sistemas inteligentes, que além de realizarem esses cálculos, centralizam a produção, o controle de estoque de matérias-primas ou produto acabado, o faturamento, emitem nota fiscal e sempre que necessário geram relatórios flexíveis.

Em regra, o gestor deve sempre optar por aquela técnica que é menos custosa e mais lucrativa para o seu negócio. Sempre considerar o mercado em que atua e as possibilidades de atender a novos clientes conforme as suas exigências e preferências.

As técnicas de estamparia possuem suas vantagens e desvantagens, e não existe o melhor ou pior método para estampar tecidos; cabe a você avaliar e decidir por aquele que atende eficientemente as suas necessidades.

Gostou da nossa comparação entre as técnicas de estamparia? Aproveite e leia nosso artigo sobre sustentabilidade na indústria de confecção e fique ainda mais bem informado a respeito das principais tendências do setor de vestuário.

Apresentação IndustWeb Sistema para ConfecçãoPowered by Rock Convert
Nenhum comentário.

Deixe seu Comentário





Não perca mais nenhum conteúdo!

Cadastre-se em nosso blog e comece a receber conteúdos fresquinhos sobre indústria de confecção em seu e-mail